Visitantes



Curta nossa página, faça parte do Grupo GaToFaCe e seja nosso modelo do mês ATREVIDOboys.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Um casado na sauna Gay

Um casado na sauna Gay

Enviado por Daniel em 14/03/2012

Eu sou casado, mas sei que no fundo sempre quis pegar homens, mas nunca tive coragem, tinha medo de dar em cima de algum homem, então preferi não chegar em ninguém até os meus 27 anos. Porém sempre me masturbava pensando que estava sendo penetrado, gozava sempre com algo dentro do meu cú. Sonhava em fazer várias coisas, fantasiava e delirava com muitas situações. Queria ser a mulher de um homem ou de vários. Foi ai que pesquisei, e fiquei interessado por uma sauna. Apesar do medo, a vontade de fazer tudo o que sonhava era maior. Ontem consegui tirar, o dia de folga, e disse que tinha que resolver uns problemas no centro para minha mulher. Tomei coragem e achei que poderia passar em uma sauna que já desejava conhecer a quase  um ano. Sai de casa com um pouco de medo, fiquei imaginando se eu encontrasse alguém conhecido. Quando cheguei lá, paguei a entrada e optei por um quarto, não conseguia olhar muito as pessoas diretamente no rosto, tirei minhas roupas e guardei no armário do quarto e fiquei somente de toalha, quando sai do quarto fiquei em choque, vi uma quantidade de homens bonitos de todos os jeitos e idades somente de toalha, percebi que todos estavam a fim de fazer o mesmo que eu, trepar e gozar muito, decidi que não teria mais pudor a partir daquele momento e iria fazer tudo o que me desse vontade!!!
  Fui ao banheiro lavei o pau e o rabo e fui para o labirinto. Cheguei no primeiro e ele se afastou. O segundo tomei coragem e peguei na pica e ele tirou a mão, já era um começo, afinal era a primeira pica que pegava de outro homem, estava tão nervoso que ainda nem conseguia ficar excitado. Fui para outro lado e tinha um macho negro. Peguei seu pau, nos abraçamos, beijei seu pescoço e me abaixei e comecei a chupá-lo, enfim estava realizando o meu desejo, minhas pernas tremia, percebi que aquilo era a coisa mais maravilhosa do mundo. O pau dele ficou como uma rocha e logo cheio de liquido na cabeça. Enxuguei e chupei mais um pouco. Logo chegou um cara grandão e peguei seu pau continuei chupando o negão. Era uma pica bem pequena, até grossa, mas chupei assim mesmo. Bem gostosinha. Alternei um pouco e fiquei em pé e ele perguntou se eu queria dar a bunda para ele. Desconversei, tinha fantasia mas estava morrendo de medo de perder a virgindade.
- Me chupa um pouco disse o cara branco.
Chupei e ele se abraçou no negão e ele pegou um tubo e pediu ao negro para meter nele. Levantei-me e disse
- Você curte isso?

Ele me olhou como se não entendesse e resolvi não continuar, queria andar e ver mais. Subi para as salas escuras, circulei e passava passando a mão em todas as rolas que podia, me abaixei e só esperava qualquer macho colocar a pica para fora da toalha, queria chupar todas. Voltei ao labirinto sentei ao lado de um cara peludo, botei a mão na perna e o negro voltou sentou ao lado e botei as mãos nas picas deles, o negrão tentava enfiar o dedo entre as minhas pernas. Tentei pegar a rola do peludo, mas ele estava segurando sua pica. Desisti e vi um cara com as costas largas e uma barriga linda ao lado com o pau de fora. Um senhor pau! Não era muito comprido, mas bem grosso. Ele me olhava com uma cara de tarado. Fiquei excitado no ato e me encostei-me a seu peito manuseando a picona.
Logo comecei a mamar em seu peito, a pica foi crescendo e perguntei se ele não queria ir para a cabine. Disse que não. Ficamos mais um tempo eu mamando e manuseando, mas uma hora ele começou a gozar, não esperava que aquilo iria acontecer, deu tempo para tirar a boca, mas senti sua porra pulando no meu peito, nunca tinha sentido aquilo antes, mas adorei ver outro macho gozando por minha causa.
Vi o negro e me aproximei. Abraçamos-nos e beijamos carinhosamente, a sensação no inicio foi estranha, mas adorei beijar outro homem, quase gozei por baixo da toalha só com um beijo. Pensei que era melhor ir com ele para a cabine e engrenar um 69, já sentia que aquele negão tinha que ser meu, escolhi ele como o meu primeiro macho, o tempo passando. Chamei-o e fomos indo. Na saída tinha um cinquentão grandão e parei um instante para botar a mão no pau dele. Ele levantou logo a toalha, fiquei manuseando e o negão me esperando. Chamei o cara para ir junta para a cabine e ele aceitou, fomos.
Lá nos abraçamos, eu com a mão no pau dele, chupei mais o negão, mais um pouco e passei para o outro. Os dois gemiam e ficamos de sacanagem um tempo e perguntei se ele queria me comer. Acedeu, peguei a camisinha, botei nele. Dobrei-me e ele foi enfiando meio rápido. Doeu um bocado, sabe primeira pica... Pedi para ir devagar e me dobrei mais pegando a pica do senhor com a boca. Mas o pau dele saia toda hora e ele me mandou subir na cama e ficar de quatro. Aí ele meteu e eu gemia de dor. Ele perguntou se queria que parasse, mas disse para continuar. E logo diminui a dor e a ardência. O senhor também quis e deixei ele metia rápido e o negro foi para o meu lado e nos beijávamos enquanto o outro me fodia. Pode você imagina a excitação que eu estava. Ele tirou e o senhor disse

- Deixa ele me foder, ficamos nos dois de quatro e ele mete hora num hora noutro.
- Não, não quero. Só se trocar a camisinha.
Aí ele meteu no senhor e eu abraçava os dois. Fui para cima da cama e dei meu pau para no negro que abocanhou, chupando-me com gosto deliciosamente. Me controlei para não gozar e ele comeu o cara por um tempo. Tirou e disse
- Agora você. Peguei outra camisinha e troquei no pau dele. O senhor disse "está certo, é mais seguro trocar".

Fiquei novamente de quatro e aí fui fodido com gosto. Comecei a perguntar se ele gostava de comer viado e ele disse que sim e ficou me chamando de viado, putinha, toma no rabo viado, por aí, eu me deliciando. Percebi que não tem coisa mais gostosa que estar sendo fodido e o macho nos chamando pelo que estamos sendo, um viado bem puto, uma "putinha". E eu dizendo,
- Fode seu viado meu macho, me arromba, aiiiii, me arromba.
E, de fato, me senti arrombado, percebi que pica grande é ótimo!
Ele demorou a gozar e enquanto me fodia começou a gemer dizendo algo que logo entendi. O senhor estava chupando o cú dele e ele dizendo "mete a língua bem fundo, chupa, mete". Depois ele me disse para deitar e fiquei de bruços, ele metendo fundo, fodendo com gosto, nós dois gemendo, ele me chamando de putinha, viado, perguntando se "o viado gostava de tomar no cú". Ele gozou um bocado. Tirou e nós três nos abraçamos. Ele disse que tinha sido uma grande foda. Depois que saiu conversei uns instantes com o senhor. Me disse que era aposentado, trabalhava em hotel. E que adorava assim de três. Sorri e disse "vamos pegar mais homens".
Voltamos ao labirinto e encontrei o pirocudo sentado sozinho. Sentei ao lado e peguei seu pau mole. Endureceu logo. Voltei a beijar seu pescoço, peito, sua pica vibrando em minha mão, duríssima. Achei que ia ser arrombado novamente e perguntei se já tinha gozado. Ele disse que não e pedi para ele me comer. Novamente ele não quis e se levantou.

Sai rodando e vi dois caras conversando e me olhando enquanto me aproximava. Um, um jovem bonito, sorria para mim e o outro se afastou. Entrei no corredor das cabines, abri a minha, era logo a primeira, e olhei para ele sorrindo. Ele me acompanhava olhando e fiz sinal para ele vir. Ele veio!
Fiquei feliz, um macho jovem, peludo, bonito. Ele entrou e logo tirou a toalha, abracei-o, beijei seu pescoço, ele não quis beijar na boca e fui beijando seu peito, barriga e comecei a primorosamente fazer uma felação. Fui passando a língua na pica toda até em baixo, voltando e abocanhei enfiando o pau até a garganta. O pau não era grande, bem menor que do outro, mas era gostoso de chupar. Fiquei ora abocanhando, ora passando a língua na chapeleta punhetando-o devagar, ora chupando até a bolas.
- Quero comer você. Fica de quatro.
Fiquei depois de botar minha ultima camisinha no cara. Ainda tinha duas tamanho grande. Enfiei novamente o tubo de KY no cú, e acabei com ele sobre a pica do rapaz. Ele botou. Fodia engraçado, ora muito rápido, ora parava bem enfiado, ora devagar. E eu indo e vindo e rebolando. Ele tirou e pediu para eu ir por cima.

Deitou com o pau duro e sentei sentindo a pica bem fundo no rabo. Ele começou a subir e descer rapidamente, cara forte, enquanto eu rebolava. Pediu para que eu abrisse mais as pernas e fiquei cavalgando e rebolando e gemendo de prazer.
- Está gostando de ser enrabado putinha? Gosta de pica no cú
- Muito, disse sorrindo para ele, novamente me sentindo muito viado
- Já deu muito este cú hoje viado? Para quantos? uns cinco?
- Não, você é segundo.
- Gosta muito de dar rabo não é viado!
- Gosto demais, gosto de pica de macho e você curti comer viado

- Curto putinha, rebola em minha pica vai!
Ficamos um pouco e ele me disse para sair de cima e ficar de quatro. Começou a meter do jeito dele, ora rápido, ora devagar, ora metendo fundo. Fui me deitando e logo estava com a barriga encostada na cama mas continuei rebolando. Estou ficando um viadão craque em enlouquecer o macho que me fode...
- Isto viado, deita putinha, leva no rabo de seu macho.
Ele parou e tirou
- Gozou?
- Não sentiu. Gozei muito!, disse tirando a camisinha a pica ainda muito dura. Quase chupei-o mas me contive.
Vi que já era hora de ir. Tinha sido enrabado três vezes em uma hora, chupado várias picas. E estava com vontade de mais. Mas as camisinhas tinham acabado já era tarde e fui me lavar. Quando voltei a cabine um jovem mulato estava na entrada e veio atrás.
- Você é ativo ou passivo?
- Passivo
- Então dá para mim. Quero comer você.
- Não dá, tenho que ir. Fica para outro dia.
Ele botou o pau para fora e pediu para eu pegar. Peguei um pouco, já estava bem duro. Mas superei. Não era grande, a camisinha gg que tinha não ia funcionar, pica pequena e cara não muito bonito, resolvi não dar a ultima foda e disse que não. O cara me agarrava insistindo, mas fiquei firme.
Então desci, me vesti e fui para casa. Cheguei minha mulher já estava botando o jantar. Fui para o banheiro e tomei um banho rápido. Ela, tempos atrás, me pediu que sempre que eu fudesse com outra pessoa, que tomasse um banho em casa. O banho foi rápido, mas suficiente para botar o cheiro do sabonete de casa substituindo o cheiro de homem e pica que estava no meu corpo todo.


Gostou desse conto? Envie o seu para atrevidoboys@gmail.com.

2 comentários:

  1. Atrevido Boys infelizmente não é mais o mesmo!
    O site perdeu a identide,se sustenta de contos mirabolantes e que não geram curiosidade em ninguém.

    ResponderExcluir
  2. Olá caro leitor.

    Obrigado pela manifestação de sua opinião. O site ATREVIDOboys é um mix de informação e entretenimento, com curiosidades, fotos e vídeos. Caso tenha preferência em ver alguma matéria expresse sua vontade que nosso setor de edição irá fazer o possível para atendê-lo.

    ATT
    Acessória de Relacionamento.

    ResponderExcluir

Sejam bem vindos e de sua opinião.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AS POSTAGENS MAIS VISTAS!!